Terça, 23 de Julho de 2024
19°

Tempo limpo

Patos, PB

Geral Investigação

Operação do Gaeco tem como alvos três prefeitos paraibanos; veja quem são

Mandados de busca foram expedidos pelo Tribunal de Justiça

26/06/2024 às 14h09
Por: Hércules Barbosa Fonte: Jornal da Paraíba
Compartilhe:
Operação do Gaeco tem como alvos três prefeitos paraibanos; veja quem são

A operação 'Rastreio' cumpriu hoje 17 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça da Paraíba. Entre os alvos estão três prefeitos paraibanos das cidades de Alhandra, Salgado de São Félix e Riachão do Poço.

O objetivo é obter materiais para confirmar um esquema de irregularidades na contratação de veículos nesses municípios.

Equipes cumpriram mandados nas sedes das prefeituras e também em alvos ligados aos prefeitos de Alhandra, Marcelo Rodrigues; de Salgado de São Félix, Joni Marcos Souza; e também à prefeita de Riachão do Poço, Maria Auxiliadora Dias.

Em um dos casos, pelo que apurou o Blog, o Gaeco investiga o aluguel por parte de uma das prefeituras de um veículos ‘fantasma’. O automóvel estaria no Estado de Minas Gerais.

Em nota, o prefeito Marcelo Rodrigues afirmou que "foi surpreendido com a investigação, mas permanece sereno, confiante e seguro de que a verdade prevalecerá em breve".

Os demais prefeitos ainda não se manifestaram.

O que diz o MP

De acordo com o MP, as investigações apuram a prática de fraudes em licitações, desvios de dinheiro público, corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito das prefeituras de Alhandra, Riachão do Poço e Salgado de São Félix, em torno dos contratos e pagamentos efetuados pelas atuais gestões às empresas supostamente contratadas para serviços de locação de veículos, que não são efetivamente prestados.

Foram identificadas empresas fantasmas constituídas em nome de 'laranjas', além de veículos supostamente locados, mas que pertencem a pessoas com vínculos com os agentes políticos investigados, veículos localizados em outros Estados, veículos que não foram abastecidos pela respectiva Prefeitura (responsável pelo abastecimento) durante o período dos contratos, ou seja, não foram utilizados, mas os valores pela locação foram pagos.

Fraudes semelhantes já apuradas

Não é a primeira vez que a locação de automóveis, feita por prefeituras e câmaras, entra no radar do Gaeco. Em 2020 o grupo deflagrou a operação Rent a Car, na cidade de Camalaú, no cariri.

O prefeito chegou a ser preso e posteriormente foi afastado do cargo. A decisão liminar de afastamento continua em vigor até hoje, mas o processo ainda se arrasta no Tribunal de Justiça do Estado. O gestor e outros investigados já foram denunciados pelo MP.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários